Fenômeno de Bloqueio #2: Métodos para Evitar o Bloqueio

Métodos para Evitar o Bloqueio

No artigo anterior, abordamos o mecanismo responsável pela ocorrência do bloqueio.

Como uma rápida revisão do fenômeno de bloqueio, o ‘Bloqueio’ ocorre quando uma falta de pressão diferencial operacional do purgador (a diferença entre a pressão primária do purgador e a pressão secundária do purgador) faz com que o condensado não seja mais descarregado do purgador, e fique então concentrado dentro do trocador de calor.

Neste artigo, abordaremos alguns métodos para evitar o fenômeno de bloqueio.

O que é necessário para evitar o bloqueio?

Para evitar o bloqueio, precisamos evitar o acúmulo de condensado dentro do trocador de calor. Então, a remoção do condensado acumulado, de uma forma ou outra, constitui a prevenção do bloqueio.

Como discutido anteriormente, se a pressão (de entrada) primária do purgador for menor que a pressão (de saída) secundária do purgador, o condensado não poderá ser descarregado. Isto significa que o problema pode ser resolvido ao garantir que a pressão (de entrada) primária do purgador seja maior que a pressão (de saída) secundária do purgador.

Seguindo esta linha de raciocínio, podemos observar que há duas formas possíveis de atingir este resultado.

a. Aumentar a pressão (de entrada) primária do purgador
b. Reduzir a pressão (secundária) da saída do purgador

O método a. é conseguido através de uma bomba mecânica tal como a Powertrap®, enquanto que o método b. requer o uso de uma bomba a vácuo. Ambos os métodos são muito utilizados para evitar o bloqueio.

No método que usa uma Powertrap®, aplica-se vapor ou pressão de ar ao condensado acumulado para aumentar pressão (de entrada) primária do purgador para que fique maior que a pressão (de saída) secundária do purgador, e force assim a descarga do condensado acumulado. Em compensação, no método que usa uma bomba a vapor, a pressão na tubulação de saída do purgador (linha de retorno do condensado) é reduzida abaixo da pressão atmosférica, mantendo assim a pressão diferencial necessária para a operação do purgador.

Ambos os métodos são adequados para evitar o bloqueio, mas a seleção de qual método usar deve ser feita com base em fatores como as condições que causam a ocorrência do bloqueio, o ambiente de instalação do equipamento e o número de peças do equipamento instalado. É muito recomendado que um técnico qualificado avalie o local antes da tomada de qualquer decisão sobre qual método usar.


Não Há Formação de Vácuo Dentro do Equipamento, mas há uma Alta Contrapressão




Há Formação de Vácuo Dentro do Equipamento